Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \07\UTC 2009

Eduardo Valdoski

Me despedi ontem do meu amigo e camarada Jean Tible. Ele irá passar uma temporada de um ano na França. Irá fazer uma bolsa sanduíche de doutorado.

Provavelmente poucos militantes da JPT conheçam o Jean, mas ele talvez seja o principal responsável pela política internacional da Juventude do PT.

Conheci o Jean, mais proximamente, em 2004, quando iniciamos a construção do Grupo de Trabalho de Relações Internacionais da JPT. Naquele momento nossa juventude estabelecia contatos com diversas juventudes partidárias e organizações políticas, porém, de forma desorganizada e sem uma política definida.

Jean, sendo assessor da Secretaria de Relações Internacionais do PT, tomou pra si, dentro de outras tarefas que tinha na SRI, a tarefa de reunir o conjunto de contatos que tínhamos e de procurar sistematizar a nossa intervenção internacional.

A partir desta produção, passamos a reunir um grupo de jovens petistas, dispostos a pensar a localização do PT, e particularmente de sua juventude, no mundo.

Neste período, construímos a intervenção nos encontros do Fórum de Juventudes Políticas do Mercosul, uma iniciativa que procurou reunir as juventudes de esquerda do bloco.

Mantivemos relações com partidos amigos, numa perspectiva de troca de experiências, mas, principalmente construímos uma perspectiva internacionalista para a Juventude do PT. Hoje, de forma mais nítida, temos condições de construir laços com partidos e organizações de forma mais organizada e política. Temos hoje, com mais clareza, o que queremos, e o que não queremos, de nossas relações internacionais.

Mas a contribuição de Jean, ao menos ao que se refere à condição humana, muitas vezes esquecida no ambiente da militância política, se deu, muito além disso. Me recordo, de uma Cumbre Social em que estivemos no Chile, onde, além do contato político com outras organizações, ele me ajudou a aproveitar melhor a oportunidade para que além do contato com outras organizações, pudéssemos ter contato com o povo e a cultura daquele país.

Jean, sempre foi (e continua sendo) um camarada de primeira hora, com um senso de responsabilidade ímpar, uma capacidade de produção acima da média, com princípios que não o faz vergar diante das situações adversas. Poderia ser, certamente, um quadro das relações diplomáticas brasileiras ou de qualquer organismo que procure manter relações internacionais, sendo inclusive, convidado para ocupar uma posição destas, mas preferiu o mais desafiante: estudar mais, para poder contribuir melhor com a luta do nosso povo.

Desejo a Jean uma boa e gratificante jornada e que volte em breve para continuar nos alimentando com este espírito internacionalista que deve ter todo socialista.

Boa viagem!

Eduardo Valdoski é coordenador de comunicação da Juventude do PT

Anúncios

Read Full Post »